Utilização de vídeos didáticos para o ensino de solo

Autores

  • Jean Dalmo de Oliveira Marques Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas https://orcid.org/0000-0002-8920-0919
  • Alexandre Nicolette Sodré Oliveira Secretaria Municipal de Educação de Manaus https://orcid.org/0000-0002-2755-3030
  • Lucilene da Silva Paes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1269

Palavras-chave:

Ensino por vídeo, Meio Ambiente, Ensino Fundamental

Resumo

Dada a importância do solo para a vida na Terra, emerge a necessidade de que essa temática seja tratada na escola de maneira significativa. O objetivo desta pesquisa foi investigar a eficiência da utilização de vídeos didáticos como recurso audiovisual para o ensino de solo no ensino fundamental. A pesquisa foi de caráter qualitativo utilizando-se o método da pesquisa-ação e aplicação de questionário e entrevista semiestruturados para a coleta de dados. Utilizamos quatro vídeos com diferentes abordagens associadas aos conteúdos escolares. A inserção de vídeos didáticos como recurso audiovisual para o ensino de solo no ensino fundamental demonstrou ser uma alternativa eficiente. Houve melhora significativa no aprendizado da temática solo e maior conscientização sobre a conservação do solo. A forma como o recurso audiovisual foi utilizado também merece atenção, sendo necessário a mediação do professor ao longo de todo o processo para melhor eficiência do processo ensino e aprendizagem.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ARROIO, A.; DINIZ, M. L.; GIORDAN, M. A utilização do vídeo educativo como possibilidade de domínio da linguagem audiovisual pelo professor de Ciências. In: V Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), Anais eletrônicos..., v.5, 2005, Bauru. p.1-10. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&pid=S19832117201500010003900001&lng=en. Acesso em: 15 abr. 2020.

BAPTISTA, G. C. S. Importância da demarcação de saberes no ensino de ciências para sociedades tradicionais. Ciência & Educação, v. 16, n. 3, p. 679-694, 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições, v. 70, 2004.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRASIL, M.V. de O.; POMPEU, R.M.; TASSIGNY, M.M.; BIZARRIA, F.P. de A. Os paradigmas do desenvolvimento sustentável. Organizações e Sustentabilidade, v. 3, p. 190-218, 2015.

CACHAPUZ, A.C.; PÉREZ, D.G.; CARVALHO, A.M.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense, 1993.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 4. ed. Ijuí: Editora Ijuí, 2006.

CITELLI, A. Outras linguagens na escola: publicidade, cinema e TV, rádio, jogos, informática. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

COBERN, W. W.; LOVING, C. C. Defining “Science” in a multicultural world: implications for science education. Science Education, v. 85, p. 50-67, 2001.

COUTINHO, L. M. Audiovisuais: arte, técnica e linguagem. Brasília: Universidade de Brasília - UNB, 2006.

FERRÉS, J. Vídeo e Educação. 2. ed., Porto Alegre, Artes Médicas, 1996.

FORTUNA, R.; FREITAS, P.; MENDES, D.; GOMES, J.C. As propostas de vídeos didáticos apresentadas nos ENPEC de 2009 a 2015. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Anais... Universidade Federal de Santa Catarina, 2017, p. 1-9.

FUMAGALLI, L. O Ensino das Ciências Naturais no Nível Fundamental da Educação Formal: argumentos a seu favor. In: WEISSMANN, H. (org.). Didática das ciências naturais: contribuições e reflexões. Porto Alegre: ArtMed, p.13-27, 1998.

GARCEZ, L. H. C. A leitura da imagem. In: BRASIL. Integração das Tecnologias na Educação / Secretária de Educação à Distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed, 2005. p. 106 – 111.

GOMES, L. F. Vídeos didáticos: uma proposta de critérios para análise. R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 89, n. 223, p. 477-492, 2008.

JESUS, O. S. F.; MENDONÇA, T.; ARAÚJO, I.C.L.; CANTELLI, K.B.; LIMA, M.R. de. O vídeo didático "Conhecendo o Solo" e a contribuição desse recurso audiovisual no processo de aprendizagem no ensino fundamental. R. Bras. Ci. Solo, v. 37, p. 548-553, 2013.

KRZIC, M.; WILSON, J.; BASILIKO, N.; BEDARD-HAUGHN, A.; HUMPHREYS, E.; DYANATKAR, S.; HAZLETT, P.; STRIVELLI, R.; CROWLEY, C.; DAMPIER, L. Soil 4 Youth: Charting new territory in Canadian high school soil science education. Nat. Sci. Educ, v. 43, p. 73–80, 2014.

LAHMAR, R.; DOSSO, M.; RUELLAN, A. Salvar nossos solos para proteger nossas sociedades. São Paulo: Instituto Pólis, 2004.

LIMA, M. R. O solo no ensino de ciências no nível fundamental. Ciência & Educação, v. 11, n. 3, p. 383-395, 2005.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2.ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2013.

MORAN, J. M. Desafios da televisão e do vídeo à escola. In: BRASIL. Integração das Tecnologias na Educação / Secretária de Educação à Distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed, 2005. p. 96 – 110.

MORAN, J. M. O Vídeo na Sala de Aula. Comunicação & Educação. São Paulo, ECA-Ed. Moderna, n. 2, p. 27-35,1995.

MORTIMER, E. F. Sobre chamas e cristais: a linguagem cotidiana, a linguagem científica e o ensino de ciências. In: CHASSOT, A. I.; OLIVEIRA, R. J. Ciência, ética e cultura na educação. São Leopoldo: UNISINOS, 1998. p. 99 – 118.

MUGGLER, C. C.; SOBRINHO, F. A. P; MACHADO, V. A. Educação em solos: princípios, teoria e método. R. Bras. Ci. Solo, n. 30, p. 733-740, 2006.

NAPOLITANO, M. Como usar a televisão na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2003.

OLIVEIRA, A.N.S.; MARQUES, J.D.O.; PAES, L. da S. Análise do tema Solo nos livros didáticos de Ciências da Natureza. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC, 3 a 6 de julho de 2017. p. 1-8.

PRETTO, N. L. Uma escola sem/com futuro: educação e multimídia. 7. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2009.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento cientifico. 5. ed. São Paulo: Artmed, 2009.

REYES-SÁNCHEZ, L. B. Enseñanza de la ciencia del suelo: estrategia y garantía de futuro. Spanish Journal of Soil Science, v. 2, p. 87-99, 2012.

SANTOS, P. C. A utilização de recursos audiovisuais no ensino de ciências: tendências entre 1997 e 2007. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2010.

SANTOS, J. A. A. dos. Saberes de solos em livros didáticos da educação básica. Dissertação (Mestrado). Pós-graduação em Solos e Nutrição de plantas. Universidade Federal de Viçosa - MG, 2011.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005.

WILLIAMS, D. R.; BROWN, J. D. Living soil and sustainability education: Linking pedagogy and pedology. Journal of Sustainability Education, vol. 2, p. 1-18, 2011.

YOUSEF, A. M. F.; CHATTI, M. A.; SCHROEDER, U. The state of video-based learning: A review and future perspectives. Int. J. Adv. Life Sci., v. 6, n. 3/4, p. 122-135, 2014.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

MARQUES, J. D. de O. .; OLIVEIRA, A. N. S.; PAES, L. da S. Utilização de vídeos didáticos para o ensino de solo. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 7, p. e126921, 2021. DOI: 10.31417/educitec.v7.1269. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/1269. Acesso em: 25 jan. 2022.