Utilizando vídeo filmagens para analisar argumentações de alunos na resolução de exercícios

uma experiência na educação básica

Autores

  • Terezinha Marisa Ribeiro de Oliveira Universidade Cruzeiro do Sul https://orcid.org/0000-0002-9064-8518
  • Carmem Lúcia Costa Amaral Universidade Cruzeiro do Sul

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1336

Palavras-chave:

Aprendizagem, Educação Básica, Vídeo gravação

Resumo

Este artigo tem como objetivo descrever o resultado de uma pesquisa em que utilizamos a vídeo filmagem como recurso pedagógico para compreender como um grupo de estudantes constroem argumentações e justificativas ao resolver exercícios de Matemática. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa sendo de caráter exploratório. Participaram dessa pesquisa 28 alunos do 9º ano de uma Escola Estadual do Ensino Fundamental Anos Finais do interior de São Paulo. Para a análise das argumentações nos baseamos em D’Ambrósio (2001), Orlandi (2009) e Sadovsky (2010). Os resultados evidenciaram que a vídeo filmagem pode ser um recurso a ser explorado pelos professores para analisar não só as argumentações e justificativas dos seus alunos na resolução de exercícios, mas também para auxiliá-los a rever suas práticas pedagógicas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BEHRENS, M. A. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente. In: MORAN, J. M. et al. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 10. ed. Campinas: Papirus, 2006.

BORBA, M. C. Diversidade de questões em formação de professores de Matemática. In: BORBA, M. C. (Org.) Tendências internacionais em formação de professores de Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. 140p.

BORBA, M. C.; OECHSLER. V. Tecnologias na educação: o uso dos vídeos

em sala de aula. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Tecnologia. Ponta Grossa, v. 11, n. 2, p. 391-423, mai./ago. 2018.

CARVALHO, A. M. Metodologia de pesquisa em ensino de física: uma proposta para estudar os processos de ensino e aprendizagem. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA, 9 ed. 2004, Jaboticatubas, MG. Anais...Jaboticatubas, MG: Sociedade Brasileira de Física, 2004.

CROWLEY, M. L. O modelo de Van Hiele de desenvolvimento do pensamento geométrico. In: LINDQUIST, M.M., SHULTE, A.P. (org.) Aprendendo e ensinando geometria. 3. ed. São Paulo: Atual, 2003.

D’AMBROSIO, U. A matemática e os temas transversais (Prefácio). São Paulo: Moderna, 2001.

DEMO, P. Aprendizagem no Brasil: ainda muito por fazer. 3. ed. Porto Alegre: Mediação, 2010a. 96 p.

DEMO, P. Ser professor é cuidar que o aluno aprenda. 7. ed. Porto Alegre: Mediação, 2010b, 88 p.

GARCEZ, A; DUARTE, R; EISENBERG, Z. Produção e análise de vídeogravações em pesquisas qualitativas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 249-262, maio/ago. 2011.

HONORATO, A. et al. A vídeo-gravação como registro, a devolutiva como procedimento: pensando sobre estratégias metodológicas na pesquisa com crianças. In: Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 29., 2006, Caxambu. Anais..., Caxambu: ANPED, 2006.

KIERAN, C. Equações e expressões em álgebra: duas abordagens diferentes entre os principiantes em álgebra. In: Coxford, A.F.; Shulte, A.P.(Org.) As ideias da álgebra. São Paulo: Atual, 2003.

KRAMER, S. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças, Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n.116, p. 41-60, julho 2002.

MASETTO. M. T. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In: MORAN, J. M. et al. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 10. ed. Campinas: Papirus, 2006.

MORAN, J. M. O vídeo na sala de aula. Comunicação e Educação. São Paulo, v.1, n. 2, p. 27-35, jan./abr. 1995.

MORAN, J. M. Por onde começar a transformar nossas escolas? In: MORAN, J.M. A Educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2016.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. In: Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Coleção Mídias Contemporâneas. 2015. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf. Acesso em: 05 abr. 2020.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios & procedimentos. 8. ed. Campinas: Pontes, 2009. 100p.

POST, A. F. et al. A proporcionalidade e o desenvolvimento de noções pré-álgebra. In: COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. (Org.) As ideias da álgebra. São Paulo: Atual, 2003.

POWELL, A. B; FRANCISCO, J. M. E.; MAHER, C. A. Uma abordagem de análise de dados de vídeo para investigar o desenvolvimento das ideias matemáticas e do raciocínio de estudantes. Bolema, Rio Claro, n. 21, p. 81-140, 2004.

POWELL, A. B.; SILVA, W. Q. O vídeo na pesquisa qualitativa em educação matemática: investigando pensamentos matemáticos de alunos. In: POWELL, A.B (Org.) Métodos de pesquisa em educação matemática usando escrita, vídeo

e internet. Campinas: Mercado de Letras, 2015. p. 15–60.

SADALLA, A. M.; LAROCCA, P. Autoscopia: um procedimento de pesquisa e de formação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 419-433, set-dez. 2004.

SADOVSKY, P. O ensino de matemática hoje: Enfoques, sentidos e desafios. 1. ed. São Paulo: Ática, 2010.

SESSA, C. Iniciação ao estudo didático da álgebra: origens e perspectivas. São Paulo: Edições SM, 2009.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 14. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

WATANABE, A.; BALDORIA, T.; AMARAL, C. L. C. O vídeo como recurso didático no Ensino de Química. Renote, Rio Grande do Sul, v. 16, p. 1-15, 2018.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução: Ana Thorell. Porto Alegre: Bookman. 2010.

Publicado

2021-04-13

Como Citar

OLIVEIRA, T. M. R. de; AMARAL, C. L. C. Utilizando vídeo filmagens para analisar argumentações de alunos na resolução de exercícios: uma experiência na educação básica . Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 7, p. e133621, 2021. DOI: 10.31417/educitec.v7.1336. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/1336. Acesso em: 25 jan. 2022.