Relações entre plantas medicinais, saber popular e ciência numa perspectiva decolonial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1708

Palavras-chave:

Capacitação de Professores, Conhecimento Científico, Cultura Popular

Resumo

Objetiva-se com o presente artigo narrar uma ação educativa, a qual foi realizada na cidade de Fortaleza, estado do Ceará-Brasil, por um grupo composto de estudantes universitários em ocasião da visita de um Horto de plantas medicinais. Neste local, foi possível discutir coletivamente o uso medicinal de vegetais sob perspectiva do saber popular originariamente do povo sertanejo e do saber científico. Por meio de Narrativas de experiências planejadas para pesquisa, atreladas a análise de conteúdo, contido nos dados obtidos dos portfólios reflexivos dos estudantes, a atividade proporcionou uma articulação entre o conhecimento popular e científico local. Parte significativa dos estudantes considerou que há uma relação entre os saberes científicos e populares. Por outro lado, os resultados indicam que há predomínio de discursos que desembocou numa visão moderna da ciência, atrelada à colonialidade do saber.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AB'SÁBER, Aziz Nacib. Sertões e sertanejos: uma geografia humana sofrida. Estudos Avançados, São Paulo, v. 13, n. 36, p. 7-59, ago. 1999. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141999000200002. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141999000200002. Acesso em: 07 abr. 2021.

AMBRÓSIO, Marcia. O uso do portfólio no ensino superior. Petrópolis: Vozes, 2013.

ARAÚJO, Cristina Ruan Ferreira de; MARIZ, Saulo Rios; COUTINHO, Mayrla de Sousa; COSTA, Eliene Pereira da; OLIVEIRA, José Olivandro Duarte de; BÚ, Emerson Araújo do. Tradição popular do uso de plantas medicinais: ação extensionista sobre crenças, uso, manejo e formas de preparo. Revista Saúde e Ciência On Line, [S. L], v. 4, n. 3, p. 55-69, dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.35572/rsc.v4i3.269. Disponível em: https://rsc.revistas.ufcg.edu.br/index.php/rsc/article/view/269. Acesso em: 08 abr. 2021.

ARAÚJO, Cristina Ruan Ferreira de; OLIVEIRA, José Olivandro Duarte de; RESENDE, Juliana Cavalcanti; BEZERRA, Marília Gabriela Pinheiro; COSTA, Eliene Pereira da; COUTINHO, Mayrla de Sousa. Raizeiros e raizeiras enquanto multiplicadores do conhecimento popular: um resgate na literatura. Revista Saúde e Ciência On Line, [S.L], v. 3, n. 1, p. 35-43, jan. 2014. DOI: https://doi.org/10.35572/rsc.v3i1.282. Disponível em: https://rsc.revistas.ufcg.edu.br/index.php/rsc/article/view/282. Acesso em: 08 abr. 2021.

FEITOSA, Raphael Alves; DIAS, Ana Maria Iorio. Interdisciplinaridade no curso de licenciatura em ciências biológicas: um estudo curricular. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, v. 8, n. 16, p. 139-152, ago. 2015. DOI: https://doi.org/10.20952/revtee.v0i0.3979. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/3979. Acesso em: 07 abr. 2021.

FIGUEIREDO, João Batista de Albuquerque; SILVA, Maria Eleni Henrique da. Educador(a) Intercultural numa Perspectiva de Formação Ambientalizada e Descolonializante. Revista Pedagógica, [S.L.], v. 14, n. 28, p. 177-206, jun. 2012. DOI: https://doi.org/10.22196/rp.v14i28.1364. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/1364. Acesso em: 09 abr. 2021.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. Brasília: Líber Livro, 2005.

SILVA, Maria Izabel G.; GONDIM, Ana Paula S.; NUNES, Ila Fernanda S.; SOUSA, Francisca Cléa F. Utilização de fitoterápicos nas unidades básicas de atenção à saúde da família no município de Maracanaú (CE). Revista Brasileira de Farmacognosia, [S.L.], v. 16, n. 4, p. 455-462, dez. 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0102-695x2006000400003. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-695X2006000400003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 08 abr. 2021.

LIMA, Maria Emília Caixeta de Castro; GERALDI, Corinta Maria Grisolia; GERALDI, João Wanderley. O trabalho com narrativas na investigação em educação. Educação em Revista, [S.L.], v. 31, n. 1, p. 17-44, mar. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698130280. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-46982015000100017&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 09 abr. 2021

MARQUES, Ronualdo; RAIMUNDO, Jerry Adriano. O Negacionismo Científico refletido na pandemia da COVID-19. Boletim de Conjuntura (BOCA), Boa Vista, v. 7, n. 20, p. 67–78, 2021. DOI: https://doi.org/10.5281/zenodo.5148526. Disponível em: http://revista.ioles.com.br/boca/index.php/revista/article/view/410. Acesso em: 25 out. 2021.

MATOS, Francisco José de Abreu. Farmácias vivas - Sistema de utilização de plantas medicinais projetado para pequenas comunidades. Fortaleza: Edições UFC, 2002.

PALÁCIO, M. A. V.; TAKENAMI, I. Em tempos de pandemia pela COVID-19: o desafio para a educação em saúde. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia (Health Surveillance under Debate: Society, Science & Technology) – Visa em Debate, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 10-15, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.22239/2317-269x.01530. Disponível em: https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1530. Acesso em: 11 abr. 2021.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Estudos - Cebrap, São Paulo, n. 79, p. 71-94, nov. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-33002007000300004. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002007000300004. Acesso em: 10 abr. 2021.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 4ª edição. São Paulo: Cortez, 2006.

SANTOS, Sandna Larissa Freitas dos; ALVES, Hérick Hebert da Silva; BARROS, Karla Bruna Nogueira Torres; PESSOA, Cinara Vidal. Uso de plantas medicinais nos serviços do sistema único de saúde: uma revisão narrativa. Revista Saúde e Ciência On Line, [S.L], v. 5, n. 3, p. 63-80, set. 2016. DOI: https://doi.org/10.35572/rsc.v5i3.230. Disponível em: https://rsc.revistas.ufcg.edu.br/index.php/rsc/article/view/230. Acesso em: 10 abr. 2021.

SIQUEIRA, André Boccasius; PEREIRA, Samira Martins. Abordagem etnobotânica no ensino de Biologia. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 31, n. 2, p. 247–260, jul. 2014. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v31i2.4711. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/4711. Acesso em: 09 abr. 2021.

WALSH, Catherine. Interculturalidade crítica e pedagogia decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In. CANDAU, Vera Maria (Org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009. p. 12-43.

WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales caminando & preguntando. Notas a Paulo Freire desde Abya Yala. Revista Entramados - Educación & Sociedad, Mar del Plata, v. 1, n. 1, p. 17-31 out. 2014. Disponível em: https://fh.mdp.edu.ar/revistas/index.php/entramados/article/view/1075. Acesso em: 08 abr. 2021.

ZABALZA, Miguel Angel. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Downloads

Publicado

2021-11-10

Como Citar

FEITOSA, R. A.; PRACIANO, J. B. A.; SILVA, A. K. C. . Relações entre plantas medicinais, saber popular e ciência numa perspectiva decolonial. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 7, p. e170821, 2021. DOI: 10.31417/educitec.v7.1708. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/1708. Acesso em: 25 jan. 2022.