Animação Whiteboard (ou Desenho No Quadro Branco)

um produto educacional para disseminar a Lei de Acesso à Informação no Ensino Médio Integrado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1290

Palavras-chave:

Animação pedagógica, Acesso à informação, Biblioteca escolar

Resumo

Esse artigo salienta a importância das práticas educativas direcionadas às atividades de busca e uso da informação no contexto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). O problema de pesquisa aborda a contribuição das bibliotecas ao estímulo de um comportamento informacional discente direcionado à construção do conhecimento na perspectiva da politecnia. As etapas de construção e avaliação de um produto educacional são apresentadas. Trata-se de uma animação whiteboard (ou desenho em quadro branco) que elege, como temática central, a Lei de acesso à Informação (LAI) – Lei 12.527/2011. Define-se como uma pesquisa descritiva e aplicada, com utilização de metodologia mista. Utilizam-se Teste Diagnóstico de Conhecimento e Questionários (ambos, on-line) para coleta de dados quantitativos e qualitativos, por meio de amostragem aleatória simples. Os dados são analisados por meio da Estatística descritiva e da Análise Textual Discursiva (ATD). Os resultados obtidos mostram que os educandos avaliam o material educativo de maneira positiva. Após o contato com o vídeo, a maior parte do grupo percebeu que a negação do direito à informação impede a geração de novos conhecimentos. Os alunos pretendem utilizar a LAI para buscar futuras informações. Conclui-se que, a biblioteca, vista como um espaço não formal de ensino, é capaz de oportunizar informações e materiais educativos capazes de contribuir diretamente na ampliação da qualidade dos processos de busca e uso informacional entre os discentes.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ágata Nelza Gomes de Souza, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Mestre em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES). Especialista em Gestão Cultural pelo Centro Universitário SENAC. Bacharela em Biblioteconomia pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) e licenciada em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, atua como Bibliotecária-documentalista no Instituto Federal de São Paulo/câmpus Jacareí. Tem experiência na área da Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, leitura e cultura.

Eduardo André Mossin, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Possui graduação em Engenharia de Computação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2003). Mestre em Engenharia Mecânica pela USP-São Carlos. Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola de Engenharia de São Carlos com tese na área de diagnóstico de protocolos de redes industriais. Especialista em Educação a distância. Trabalhou com desenvolvimento de software para sistemas de telecomunicações pela empresa Nortel Networks por 2 anos. Trabalhou também com o desenvolvimento de software para sistemas de automação industrial por 6 anos pela empresa Smar Equipamentos Industriais. Foi professor do Cursinho pré-vestibular comunitário Paulo Freire. Foi professor das faculdades COC (modalidade EAD). Atualmente é professor de programação e banco de dados e ocupa o cargo de Diretor Geral no Instituto Federal de São Paulo - IFSP, Câmpus Sertãozinho. É também professor do programa de mestrado ProfEPT e trabalha com projetos que tem relação com Ensino a distância e Gestão e Organização do Espaço Pedagógico. Tem experiência na área de ciência da computação, com ênfase em desenvolvimento de software para automação industrial, atuando principalmente nos seguintes temas: engenharia de software, análise e projeto orientado a objetos, sistemas operacionais, programação concorrente, redes de computadores, redes industriais, integração de sistemas de software, desenvolvimento de sistemas de automação.

Referências

BRASIL. Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal. Brasília, DF: Presidência da República, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12527.htm. Acesso em: 29 maio 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 6, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Brasília, DF: Presidência da República, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1166 3-rceb006-12-pdf&category_slug=setembro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 29 maio 2019.

COMPARATO, D. Da criação ao roteiro: teoria e prática. 4. ed. São Paulo: Summus, 2016. (Biblioteca fundamental de cinema ; 4).

CRESWELL, J. W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. 3. ed. Porto Alegre: Penso, 2014.

CRESWELL, J. W. et. al. Advanced mixed methods research designs. In: A. TASHAKKORI, A.; TEDDLE, C. Handbook of mixed methods in social and behavioral research. Thousand Oaks, CA: Sage, 2003. p. 209-240.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões?: quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. Campinas: Autores Associados, 2008. (Polêmicas do nosso tempo; 86).

GIRÃO, L. C. Processos de produção em vídeos educativos. In: Integração das tecnologias na educação. SEED. Brasília: MEC, 2005, p. 112-116. Disponível em: http://www.pucrs.br/ciencias/viali/tic_literatura/livros/Salto_tecnologias.pdf. Acesso em: 02 abr. 2018.

LANKES, R. D. Expect More: demanding better libraries for today's complex world. 2. ed. [S. l.: s. n.], 2016. Disponível em: https://davidlankes.org/new-librarianship/expect-more-demanding-better-libraries-for-todays-complex-world. Acesso em: 12 mar. 2021.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Unijuí, 2011.

OSORO-ITURBE, K. ¿Qué es (o debe ser) una biblioteca escolar?: concepto y fases del proyecto. Mi Bibioteca: la revista del mundo bibliotecario, Málaga, v. 2, n. 5, p.68-74, 2006. Disponível em: https://gredos.usal.es/jspui/bitstream/10366/120039/1/MB2_N5_P68-74.pdf. Acesso em: 10 mar. 2021.

PAULA, M. C. de; MENEZES, A. L. dos S.; GUIMARÃES, G. T. D. Análise textual discursiva: possibilidades de imersão. In: GUIMARÃES, G. T. D. Ressignificando os labirintos da pesquisa qualitativa: exercícios práticos de análise do discurso. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015.

PEREIRA, I. B. Dicionário da educação profissional em saúde. 2. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: EPSJV, 2008. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/Dicionario2.pdf. Acesso em: 29 nov. 2017.

SAVIANI, D. Escola e democracia: edição comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008. (Educação contemporânea).

SAVIANI, D. O choque teórico da Politecnia. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-152, mar. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981- 77462003000100010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 06 mar. 2021.

SETZER, V. W. Dado, informação, conhecimento e competência. DataGramaZero, v. 0, n. 0, 1999. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/7327. Acesso em: 11 mar. 2021.

SOUZA, A. N. G de; MOSSIN, E. A. Lei de Acesso à informação: disseminando a LAI na Educação Profissional e Tecnológica. São Paulo: [s. n.], 2019. 1 vídeo (11 min.). Disponível em: http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/432909. Acesso em: 11 mar. 2021.

SOUZA JUNIOR, H. P. de. Centralidade ontológica do trabalho ou centralidade da informação e do conhecimento nos processos de formação humana? Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 2, p. 163-179, ago. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0103-73072008000200012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 08 mar. 2021.

TÜRKAY, S. The effects of whiteboard animations on retention and subjective experiences when learning advanced physics topics. Computers & Education, [International Journal], v. 98, p. 102-114, julho 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0360131516300550?via%3Dihub. Acesso em: 20 maio 2020.

Publicado

2021-04-05

Como Citar

SOUZA, Ágata N. G. de; MOSSIN, E. A. Animação Whiteboard (ou Desenho No Quadro Branco): um produto educacional para disseminar a Lei de Acesso à Informação no Ensino Médio Integrado. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 7, p. e129021, 2021. DOI: 10.31417/educitec.v7.1290. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/1290. Acesso em: 25 jan. 2022.