Ensino interdisciplinar do tema energia eólica

contribuições da FlexQuest® para a Alfabetização Científica e Tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v7.1777

Palavras-chave:

Flexquest, Energia eólica, Alfabetização científica e tecnológica, Ensino

Resumo

Esse artigo analisa o desenvolvimento de uma sequência didática pautada na estratégia FlexQuest® na perspectiva da Teoria da Flexibilidade Cognitiva formulada por Spiro e colaboradores, e possíveis contribuições dessa abordagem para a Alfabetização Científica e Tecnológica proposta por Fourez.   O objetivo é verificar a presença dos pressupostos da Alfabetização Científica e Tecnológica no ensino do tema energia eólica nas aulas de física de uma turma do 3º ano de uma escola de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional, localizada numa região do interior do Estado da Bahia proeminente na produção de energia eólica. A sequência didática foi estruturada a partir de casos e minicasos representativos de situações reais, organizados didaticamente na plataforma FlexQuest®. Os dados de pesquisa foram obtidos dos registros de áudio gravados das aulas, de diários de bordo, de atividades realizadas pelos estudantes na plataforma e de seus manuscritos. A análise considerou a articulação dos pressupostos da Teoria da Flexibilidade Cognitiva e da Alfabetização Científica e Tecnológica. Os resultados alcançados sugerem que a problematização do tema segundo a travessia da paisagem sob diversas direções favoreceu o desenvolvimento da flexibilidade cognitiva e da autonomia, comunicação e domínio pelos estudantes, indícios de potencial contribuição dessa articulação para a Alfabetização Científica e Tecnológica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALEIXO, A. A., LEÃO, M. B. C., & NERI DE SOUZA, F. FlexQuest®: potencializando a WebQuest no Ensino de Química. Revista FACED, v. 14, pp. 119–133, 2008.

AULER, D.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio: pesquisa em educação em ciências, v. 3, n. 1, p. 105-115, 2001.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA EÓLICA (ABEEÓLICA). Números ABEEólica: outubro de 2020. Disponível em: http://abeeolica.org.br/wp-content/uploads/2020/10/Infovento-18.pdf. Acesso em: 24 abr. 2021.

CAMARGO-SCHUBERT ENGENHEIROS ASSOCIADOS... [et al.]. Atlas eólico: Bahia. Curitiba: Camargo Schubert; Salvador: SECTI, SEINFRA, CIMATEC/ SENAI, 2013. 96p.

BETTANIN, E.; ALVES FILHO, J. P. Alfabetização científica e técnica: um instrumento para observação dos seus atributos. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 4., 2003, Bauru. Atas do IV ENPEC, 2003. v. 1. p. 20-33.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a Base. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf. Acesso em: 27 jan. 19

CARVALHO, A.A.A.A. Teoria da Flexibilidade Cognitiva e o modelo múltiplas perspectivas. In: LEÃO, M. B. C. (Org.). Tecnologias na educação: uma abordagem crítica para uma atualização prática. Recife: UFRPE, 2011.

COUTO, M. L. S. Uma proposta de ensino interdisciplinar através do tema energia eólica: aproximações entre as estratégias flexquest e ilhas de racionalidade. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Ba, 2020.

FERREIRA, N. R. S. Currículo: espaço interdisciplinar de experiências formadoras do professor da escola de educação básica. In: FAZENDA, I. C. A. (Org.). Revista Interdisciplinar, São Paulo, Volume 1, número 0, p.01-83, out. 2010.

FOUREZ, G. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. Tradução: Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995. 319p.

_______, G. El movimiento ciencia, tecnología, sociedad (CTS) y la enseñanza de las ciencias. Perspectivas, vol. XXV, nº 1, p. 27-40, 1995a.

_______, G. Alfabetización científica y tecnológica: Acerca de las finalidades de la enseñanza de las ciencias. Buenos Aires: Ediciones Colihue, 1997.

_______, G. Crise no ensino de ciências? Investigações em Ensino de Ciências, v.8, n.2, pp. 109-123, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (coleção Leitura)

GRESCZYSCZYN, M. C. C.; CAMARGO FILHO, P. S.; MONTEIRO, E. L. Determinação do nível de alfabetização científica de estudantes da etapa final do ensino médio e etapa inicial do ensino superior. Revista Brasileira de Ensino de

Ciência e Tecnologia, v. 11, p. 192-208, 2018.

PESSOA, T.; NOGUEIRA, F. Flexibilidade Cognitiva nas vivências e práticas educativas: casebook para a formação de professores. In: NASCIMENTO, A.; HETKOWSKI, T. (Eds.). Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 111-131.

RICHETTI, G. P.; PINHO-ALVES, J. Automedicação: um tema social para o Ensino de Química na perspectiva da Alfabetização Científica e Tecnológica. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.2, n.1, p.85-108. 2009. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37916/28953. Acesso em: 04 jul. 2018.

PINTO, L. I. C.; MARTINS, F. R.; PEREIRA, E. B. O mercado brasileiro da energia eólica, impactos sociais e ambientais. Rev. Ambient. Água, v. 12, n.6, p.1082 – 1100, Nov. / Dec. 2017.

SANTOS, W. L. P. dos; MORTIMER, E. F. Tomada de decisão para ação social responsável no ensino de ciências. Ciência & Educação, v. 7, n. 1, p.95-111, 2001.

SANTOS, I. G. S. FLEXQUEST®: Uma plataforma Web 2.0 para o desenvolvimento de atividades interdisciplinares visando a promoção de flexibilidade cognitiva. 2016. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife. 2016. Disponível em: http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/7449. Acesso em: 08 jun. 2018

SANTOS, I. G. S.; CLEOPHAS, M. G. Uma proposta de trabalho interdisciplinar sobre a água: o caso da Flexquest “O Fluido da Vida”. Enseñanza de las ciencias, n. Extra, 4949-4954, 2017.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. de. Alfabetização Científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/844768/mod_resource/content/1/SASSERON_CARVALHO_AC_uma_revis%C3%A3o_bibliogr%C3%A1fica.pdf . Acesso em: 31 abr. 2021.

SILVA, I. G. DE S. S.; LEÃO, M. B. C.; NERI DE SOUZA, F. Plataforma FlexQuest®®: Uma estratégia didática para a promoção de flexibilidade cognitiva e interdisciplinaridade com recursos Web 2.0. RISTI - Revista lbérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, n. E4, p. 35–49, 2015.

SOUZA, R. V.; LEÃO, M. B. C. O processo de construção da FlexQuest por professores de ciências: análise de alguns saberes necessários. Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 4, p. 1049-1062, 2015.

SPIRO, R. J.; COULSON, R.; FELTOVICH, P.; ANDERSON, D. Cognitive Flexibility Theory: Advanced Knowledge Acquisition in Structured Domains. In: Conference of the Cognitive Science Society, 10, 1988, Hillsdale, NJ: Erlbaum, Anais...Hillsdale, 1832 NJ,1988.

TRALDI, M. Novos usos do território no semiárido nordestino:implantação de parques eólicos e valorização seletiva nos municípios de Caetité (BA) e João Câmara (RN).Dissertação de mestrado - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências, Campinas, SP, 2014.

Downloads

Publicado

2021-10-22

Como Citar

COUTO, M. L. S.; JOSÉ, W. D.; CAMPOS, S. S. Ensino interdisciplinar do tema energia eólica: contribuições da FlexQuest® para a Alfabetização Científica e Tecnológica. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 7, p. e177721, 2021. DOI: 10.31417/educitec.v7.1777. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/1777. Acesso em: 25 jan. 2022.