Projeto sustentável de escola flutuante ribeirinha

Autores

  • Pedro Felix Liotto Universidade Federal do Amazonas
  • Laerte Melo Barros Instituto Federal do Amazonas
  • Thiago Felix da Silva Instituto Federal do Amazonas
  • Vinicius dos Santos Albuquerque Instituto Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.31417/educitec.v4i08.526

Palavras-chave:

Região amazônica, Estrutura escolar, Materiais, Sustentável

Resumo

A variação do nível das águas na região amazônica influencia as atividades comunitárias, sendo necessárias adaptações para o modo de vida amazônida. Assim podemos ressaltar a interferência nas atividades escolares dos ribeirinhos. Tendo a formação escolar como única porta para o progresso, o ribeirinho procura adaptar-se com o meio. Com a variação dos níveis das águas, a estrutura da escola é afetada drasticamente provocando interrupções no calendário letivo. Para mitigar essas ações a pesquisa busca padrões que sejam adaptáveis para este meio e que ainda possa ter caráter sustentável provocando reforços na formação dos ribeirinhos. A presente pesquisa busca apresentar uma forma de impedir a interrupção das aulas letivas no período escolar, ainda que em condições ambientais desfavoráveis. Aliada ao modelo é proposto alguns padrões de conforto elementar para a atividade acadêmica. Os materiais utilizados nas soluções propostas constituem uma adaptação sem grandes rupturas no modo ribeirinho de viver. Assim o uso da madeira de maneira sustentável e outro material, bastante frequente nas cidades industrializadas, são aliados formando um compósito capaz de ter a resistência estrutural da madeira e a propriedade térmica das placas feitas com resíduos de Poliestireno Expandido (Isopor). Como resultado, foi demonstrada a viabilidade de um projeto sustentável de escola ribeirinha, capaz de atender as necessidades escolas ribeirinhas, como conforto no processo ensino-aprendizagem e ao mesmo tempo foi possível a adaptação à variabilidade hidrológica em áreas de difícil acesso como a região amazônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALBUQUERQUE, Regina Lucia Azevedo e colab. Projeto Samaúma: navegando para levar educação aos ribeirinhos da amazônia. Igapó - Revista de educação, Ciência e Tecnologia do IFAM, v. 07, n. 2238–4286, p. 50–55, 2013.

LOURENSINI, Luise. Desenvolvimento de painel pré-fabricado em concreto armado para vedação, com núcleo composto por material para isolamento térmico. 2017. Monografia (Graduação em Engenharia Civil) – Universidade do Vale do Taquari - Univates, Lajeado, 07 dez. 2017. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10737/1927>.

BARCELLOS, Christovam e MONTEIRO, Antonio Miguel Vieira e CORVALAN, Carlos. Mudanças climáticas e ambientais e as doenças infecciosas: cenários e incertezas para o Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 18, n. 3, p. 285–304, 2009. Disponível em: <http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742009000300011&lng=pt&nrm=iso%3E>.

BARROS, Laerte Melo; ALQUERQUE, Vinicius dos Santos. Projeto sustentável de uma escola ribeirinha em madeira com associação de materiais acústicos e térmicos. p. 1–7, 2016.

COUNCIL, Cairns Regional. Sustainable Tropical Building Design: Guidlines for Commercial Buildings. p. 48, 2011.

FARIAS, Soad e colab. Preservação da paisagem ribeirinha na Amazônia Resumo. In: SEMINÁRIO DOCOMOMO BRASIL INTERDISCIPLINARIDADE E EXPERIÊNCIAS EM DOCUMENTAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO RECENTE, 9., Anais... 2011.

FEARNSIDE, Philip M. A Vulnerabilidade Da Floresta Amazônica Perante As Mudanças Climáticas. Oecologia Australis, v. 13, n. 04, p. 609–618, 2009. Disponível em: <http://www.oecologiaaustralis.org/ojs/index.php/oa/article/view/oeco.2009.1304.05/110>.

GOMES, Aguinaldo Rodrigues. Escolas da várzea: à margem dos rios e da sociedade brasileira. p. 1–11, 1977.

GRZYBOWSKI, G. T. Conforto Térmico nas Escolas Públicas em Cuiabá-MT: estudo de caso. Cuiabá, 2004. 2004. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Física e Meio Ambiente)-Escola de Engenharia, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2004.

HERMES, Fernando e OLIVEIRA, Dênio Ramam Carvalho e FERREIRA, Maurício de Pina. Elaboração de um projeto padrão de escola para as regiões ribeirinhas. Revista do centro de ciências exatas e tecnologia, p. 37–56, 2012.

NETO, Tiago Sanule da Costa. Arquitetura Flutuante: Projetar uma habitação-tipo para um ambiente em transformação. 2015. 112 f. Universdade do Minho, 2015.

OLIVEIRA, Mayane Guedes De e VILELA, Felipe Oliveira. A construção modular com utilização de painéis eps. Revista Episteme Transversalis, v. 08, 2015.

PIEDADE, M T F e colab. Impactos ecológicos da inundação e seca na vegetação das áreas alagáveis amazônicas. Eventos climáticos extremos na Amazônia: causas e conseqüências, n. 1, p. 405–457, 2012.

SCHERER, Elenise. Mosaico Terra-Água : a Vulnerabilidade Social Ribeirinha Na Amazônia – Brasil. In: CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 8., Anais... p. 1–18, 2004.

SILVA, Pedro Daniel Moreira Da. Aplicação de Técnicas BIM à Construção Modular com Painéis Sandwich. 2012.

SOUSA, Luciana Cristina Romeo e SANTOS, Ricardo Bruno Nascimento e SOUSA, David Silva Pereira. Desenvolvimento e pobreza multidimensional na Amazônia Legal. Revista Espacios, v. 37, n. No 21, p. 1–19, 2016.

VEIGA, Adriana Almeida. Práticas inovadoras de currículo na escola barco de madhyapara - Chalanbeel, Bangladesh. Revista Eletrônica de Ciências da Educação, v. 17, n. 1677–3098, p. 1–12, 2018.

Downloads

Publicado

14-11-2018

Como Citar

LIOTTO, P. F.; BARROS, L. M.; DA SILVA, T. F.; ALBUQUERQUE, V. dos S. Projeto sustentável de escola flutuante ribeirinha. Educitec - Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, Brasil, v. 4, n. 08, 2018. DOI: 10.31417/educitec.v4i08.526. Disponível em: https://sistemascmc.ifam.edu.br/educitec/index.php/educitec/article/view/526. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Ed. Especial 2018: Processos e Recursos para o Ensino em um Contexto Tecnológico
Received 2018-08-25
Accepted 2018-10-25
Published 2018-11-14